segunda-feira, 17 de agosto de 2009

O QUEBRA

A casa onde eu morei por muito tempo em Areia, era um casarão à rua Padre Chacom, antiga rua do Sertão, onde meu pai tinha uma casa comercial (bodega). Da janela do meu quarto eu tinha o privilégio de avistar toda gruta do “quebra” e suas adjacências.
Segundo algumas fontes de pesquisa, este nome “quebra” advém das constantes quedas dos corredores d`água em sua ladeira escorregadia e a conseqüente quebra dos potes que conduziam quem ali se dirigia para coleta d`àgua.

Segundo informações de um site da Prefeitura Municipal de Areia, em 1885 o maestro Tristão Grangeiro, então Presidente da Câmara Municipal, propôs a construção de um banheiro público na fonte do Quebra. A construção foi iniciada por ele, sem qualquer ônus para a Prefeitura, auxiliado por particulares e inaugurado no dia 1° de janeiro de 1886. Foi um dia de grande festa, com banda de música discursos e girândolas de duzentas dúzias de foguetes. Tristão Grangeiro, entusiasmado, passou todo o dia a reger a orquestra e a banhar-se no Quebra apanhando uma pneumonia que o levou ao túmulo quinze dias depois. Mas seu sacrifício não foi em vão. O banheiro do Quebra tornou-se uma tradição em Areia – todos, ricos ou pobres, iam até lá, a pé, conduzindo suas toalhas, conversando amigavelmente, fazendo um bom exercício, tomando um delicioso banho.O famoso banheiro passou alguns anos interditados por falta de condições de funcionamento. Foi restaurado na gestão do Prefeito Élson Cunha Lima que construiu ainda, no local, uma quadra de esportes. É um recanto agradável e pitoresco e mais uma tradição a ser conservada.

Caso você deseje se aprofundar com mais intensidade sobre este belo panorama areiense, procure adquirir um livro escrito recentemente pelo meu conterrâneo e amigo José Alves de Lima, conhecido por Zezinho da Fábrica. Neste livro, o nobre conterrâneo descreve com todo calor todo o explendor desta notável beleza areiense.

4 comentários:

Alves disse...

O nosso Gestor Municipal de Areia Dr, Elson da Cunha Lima Filho, já estar buscando recursos para a revitalização deste tradicional Balneario o (QUEBRA).Irei matar minhas saudades, tomando aquele banho sentado sob suas frias bicas.

fatima disse...

Acredito que todo areiense que se preza um dia visitou o famoso quebra...e se não tomou banho lá pode ter feito como eu: levei meus alunos para um piquenique nesse lugar inesquecível!!
Elizabete, seu blog é muito bom!!

Bete disse...

Obrigada Fátima!
Continue fazendo suas visitas, que mais postagem virão, sobre a nossa terra querida.

Gabriel Ferreira disse...

José Alves de Lima.. grande homem! grande "professor"! grande cidadão e maçon, orgulho de ter um avô como esse.